Bélgica: onde a cerveja começa a ser servida às 10 da manhã!

Segunda semana na Bélgica:

Depois de finalizar o café da manhã do hostel em que eu trabalhava, um grupo de homens entra, senta no bar e pega o menu de cervejas. Pensamos na hora: são turistas indo embora e querem aproveitar a última oportunidade de provar uma cerveja belga; mas esse cenário se repetiu diariamente. Lá a cultura de cervejas é tão intensa que não há nada mais normal que sentar em um bar e curtir uma antes do almoço.

Engana-se quem pensa que esse ritual é exclusivo de quem não trabalha! É muito comum que um local beba algo antes de ir ao trabalho, em pequena quantidade, e de noite volte ao bar pra beber de verdade! Na terra da cerveja da melhor qualidade vendida em supermercados por 1 euro, fica difícil não simpatizar com os hábitos locais.

cerveja1.jpg
cardapio cervejas belgas

Pra quem ainda não conhece ou não ouviu falar, a Bélgica possui métodos próprios de fabricação e fermentação, produzindo vários tipos de cerveja mundialmente conhecidos: a Witbier (feita de trigo), a Belgian Pale Ale, as Sour Ales, Geuzes e Lambics, Dubels, Tripels e por aí vai! Sem contar as produções Trapistas, feitas por monges, com procedimentos controlados.

Deu pra ter um gostinho de como são as terras belgas?

 

Para elaborar sua experiência personalizada na Bélgica e suas cervejarias fantásticas mande um email para contato@travelroutes.com.br e faça um orçamento com a gente :)

 

cerveja belga trapista belgica

Explorando um dos bairros mais pops e alternativos de Madri!

Madrid é uma cidade que possui vida, agitação e cada um dos seus bairros reflete características únicas da cidade. Hoje vamos explorar um pouquinho, com as dicas dos nossos colaboradores, um bairro não muito turístico de Madri, mas que tem conquistado cada vez mais os viajantes que passam por lá, o Malasaña!

Malasaña é um bairro antigo que começou a sofrer diversas transformações e atrair os jovens da cidade com restaurantes modernos e brechos que dividem espaço com bares e feiras que já existem ali a décadas. 

Para explorar Malasaña você não precisa sair tão do centro da cidade, afinal de contas o bairro fica localizado cercando a Plaza del 2 de Mayo e próximo a estação de metro Tribunal. Além disso, ele fica a apenas alguns minutos da região do Sol e dos principais museus de Madrid. 

Começamos a explorar o bairro pela La Plaza San Ildefonso que reuni alguns bares que estendem e enchem suas cadeiras na praça, o Bicycle Café roubou nosso coração e foi ótimo para começara manhã. Aqui também visitamos a Igreja de San Ildefonso, que possui uma arquitetura simples, mas um interior bonito. Vale a visita se você estiver passando por lá. 

De lá fomos dar uma volta na La Calle del Pez que é famosa por reunir diversos bares! Na Espanha o comum é você ir pulando de bar em bar para tomar uma caña (cerveja pequena) e comer um tapa (petiscos). Em razão da tradição, alguns bares oferecem a tapa de graça quando você pede a caña, então sempre vale pedir a caña primeiro e ver se ganhará alguma tapa.

9702559574_a2b1cd3ff8_h.jpg

No bairro pudemos ver diversos teatros, tanto grandes como pequenos, que são uma alternativa valida para os famosos e clássicos teatros da Gran Vía, principalmente se você já tiver visto todos aqueles espetáculos, seja em Madri ou qualquer outra cidade.

Também nos encantou muito as diversas livrarias independentes, como a Tipos Infames - Libros y Vinos, onde você pode sentar tomar um café, uma taça de vinho ou até mesmo um cerveja enquanto folheia o seu livro preferido.

E como bons amantes de boa comida e mercados não podíamos deixar de conhecer o Mercado de San Ildefonso, que mereceu um post específico e dedicado só a ele.

Veja aqui sobre o Mercado San Ildefonso em Madri. 

Após se esbaldar no Mercado os amantes de compras podem se perder pela Calle de Fuencarral e os mais diversos brechos da região!

Agora para o jantar temos um local especial para indicar para o seu roteiro! Gostou de conhecer um pouquinho de Madri com a gente? 

 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Fugindo do tradicional Mercado de San Miguel com o Mercado de San Ildefonso

O mercado de San Ildefonso nasceu da inspiração nos famosos street markets de Londres e Nova York combinados com os mercados tradicionais de Madri. 

O foco do mercado foi reunir 15 espaços de gastronomia especializada, autentica e de alta qualidade. Aqui você encontra opções de comidas típicas espanholas como parrilladas, paellas, além de pizza, hambúrguer, asiático, mediterrâneo, mexicano..

As deliciosas opções que o mercado oferece são divididas em 3 andares e 2 terraços aconchegantes e modernos com diversas, mesas e cadeiras próprias para um happy hour ou almoço descontraído. 

O estilo do mercado combina perfeitamente com o bairro onde está inserido, Malasaña, e é o local perfeito para finalizar o seu dia de passeio e iniciar a sua noite!

Conheça mais sobre o imperdível bairro de Malasaña!

 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

10 formas de aproveitar Florença!

1. Faça uma visita ao Mercado San Lorenzo.

Seja para um café da manhã, beliscos de almoço ou happy hour!

2. Explore os museus pequenos.

Florença possui inúmeros museus famosos e também pequenos que merecem a visita, como The Bargello Museum, Palazzo Davanzati, Medici Chapel e diversos outros. 

Clique para ver como visitamos as principais atrações de Florença sem pegar fila!

3. Uffizi é uma visita obrigatória para os amantes de arquitetura e arte.

Aqui você verá obras como Venus de' Medici; The Birth of Venus; Bacchus by Caravaggio; Ognissanti Madonna. E não perca o Vasari Corridor que te permite caminhar de Uffizi para o Palazzo Pizzi, que fica do outro lado do rio. 

4. Conheça a Villa Bardini que fica localizada no alto de uma montanha.

Saia um pouco de centro de Florença para apreciar a cidade do alto. Lá vá ao Terraço Belvedere para ter uma linda vista da Brunelleschi’s dome, Piazzale Michelangelo, e a torre do Palazzo Vecchio.

5. Se delicie com uma maravilhosa e tradicional bisteca fiorentina!

Temos alguns restaurantes incríveis para te indicar! Já organizou sua viagem e montou o seu roteiro?

6. Conheça a história de Dante Alighieri pelas ruas e construções de Florença.

Diz a lenda que na igreja Santa Margherita de' Cerchi Dante se apaixonou por Beatrice, uma paixão que inspirou bastante o seu trabalho. 

7. Visite a Basílica Santa Trinità para ver afrescos incríveis!

8. Piquenique no Giardino delle Rose.

Esse pequeno e escondido jardim fica entre a Piazzale Michelangelo e San Niccolo e é o local perfeito para um piquenique durante a sua viagem e também para sair um pouco da agitação das ruas de Florença. O parque se expande por mais um hectare onde você encontra 350 variedades de rosa, diversas esculturas, limoeiros e um jardim japonês, além claro de uma linda vista da cidade. Um ótimo local para pegar o vinho e snacks para o piquenique é o Le Volpi e l'Uva.

Giardino_torrigiani,veduta.jpg

9. Aproveite todo o sorvete italiano que você puder!

Os nossos colaboradores sabem sorveterias deliciosas e artesanais para incluirmos no seu roteiro. 

10. Beba um delicioso café após visitar uma Igreja.

É tradição na Itália tomar um café após a ida na igreja. Claroscuro é um bar famoso por possuir uma enorme variedade de grãos de café de mais de 15 países diferentes.

cntraveler.com 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

9 dicas para pedalar com segurança por Amsterdam.

Andar de bicicleta por Amsterdam faz parte da experiência de viver a cidade como ela é! Como a cidade possui mais de 400 km de ciclovia, é claro que existem algumas "regras" para o trânsito fluir sem acidentes.

Então, sempre pensando em uma viagem consciente, principalmente para não causar acidentes e nem atrapalhar a vida das pessoas moram na cidade, devemos ficar por dentro dessas regras antes de alugarmos a nossa bicicleta e nos aventurarmos.

Dicas para pedalar com segurança em Amsterdam:

  1. Utilize a ciclovia que fica localizada ao lado direito da calçada. Ela é identificada com linhas brancas e desenhos de bicicleta. 
  2. Respeita as placas de sinalização e semáforos. Não pedale nas calçadas, ruas fechadas para pedestres e nas ruas onde passas carros. 
  3. Sempre dê sinal antes de virar. Basta esticar a sua mão para a lateral no sentido em que quer virar, igual quando damos seta no carro.
  4. Fiquei de olho no trânsito. Cuidado com as Scooters, táxis e carros. Você pode estar no ponto cego deles.
  5. Cuidados com os trilhos do tram. O pneu da bicicleta pode ficar preso com facilidade nos trilhos do tram. Para evitar isso sempre atravesse na diagonal.
  6. Cuide da sua bicicleta. Sempre prenda a sua bicicleta a um local firme e seguro.
  7. Abra espaço para os outros ciclistas. Não fique lado a lado com outro ciclista fechando a ciclovia. Deixe uma faixa livre e vá no mesmo ritmo do ciclista que está a sua frente. Se for atender o telefone ou ver o mapa, pare no local apropriado.
  8. Evite a hora do rush. Entre 08h/09h e 17h/18h as ciclovias ficam lotadas de bicicletas e pessoas indo para o trabalho, escola e etc. Se puder evite esse horário para pedalar com mais tranquilidade. 
  9. Não imite os Holandeses. Como eles moram na cidade e pegam a ciclovia todos os dias, para eles é normal fugir um pouquinho das regras e furar um sinal vermelho e andar a noite sem iluminação, mas não faça o mesmo! 

Se você não pretende se aventurar pelas ciclovias de Amsterdam CLIQUE AQUI para ver o post que falamos como andar de tram pela cidade! 

Está organizando sua viagem para Amsterdam? Tem certeza que está fazendo tudo certinho e que não vai faltar nenhum lugar incrível para você conhecer? Estamos aqui para te ajudar a organizar a sua viagem com a nossa consultoria e roteiro personalizado!

 

iamsterdam.com

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Tram - O melhor transporte depois da bicicleta para Amsterdam

O tram ou bonde é um excelente transporte para você se locomover por Amsterdam, isso se você não for muito fã de andar de bicicleta. 

Com o tram você pode andar por praticamente toda a cidade, e como ele é de superfície ainda dá pra você ir admirando cada esquininha de Amsterdam. A maioria dos trams para na estação Central de Amsterdam, o que é uma mão na roda caso você esteja viajando de trem.  

Para andar de tram você possui várias opções:

1. Pagar na hora e pedir o ticket de que dá direito a 1h corrida de transporte, 24h ou 48h.

2. Utilizar o public transport chip card. Esse é um cartão que funciona como um pré-pago. Você pode compra-lo nas GVB Tickets & Info, stands e supermercados. Faça a recarga da quantidade que achar necessário e pronto! O cartão também possui duas categorias, a normal que te permiti dividir o cartão com outra pessoa, mas não para uso no mesmo momento e a personalizada que é de uso exclusivo seu. As duas opções também te permitem administrar online quanto você gastou e quanto de crédito ainda tem. 

DICA: Quando for utilizar este cartão você deve bipa-lo na maquininha que fica na entrada do tram e ônibus e fazer o mesmo na hora da saída pois é assim que ele calcula distância percorrida e cobra o valor. No metrô você tem que bipar o cartão também na entrada da estação e na saída. 

3. Utilizar o I amsterdam City Card. Este cartão te garante uso ilimitado do GVB public transport (ônibus, tram & metro) além de te dar acesso a maioria dos museus e atrações de Amsterdam, passeio gratuito no canal e outros benefícios. Você pode comprar o cartão de 24h, 48h, 72h e 96h. O valor dele é aparentemente alto, mas pode valer muito dependendo da quantidade de atrações que for visitar e do quanto for utilizar o transporte pela cidade.

E uma coisa muito engraçada aconteceu com a gente em Amsterdam. Na maioria das vezes que entravamos no tram e tentávamos fazer o pagamento o cobrador nos falava que não precisa e acabávamos andando de graça. Até hoje não entendemos o porque. hahahaha Vai que você tem essa sorte igual a nossa! :)

Se você ainda estiver perdido para montar o seu roteiro por Amsterdam, vem que a gente te ajuda com uma consultoria e um roteiro personalizado para você!

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Como visitar as principais atrações de Florença sem pegar fila!

Florença é uma cidade que emana arte, história e cultura. A cidade conta hoje com mais de 72 atrações, que envolvem museus e igrejas, e para visita-los você precisa de uma mínima programação. 

Os mais famosos, como a Galleria Dell'Academia, que possui a escultura de David, sempre está cheio e geralmente você pega um filinha na entrada, principalmente se for em alta temporada (que ai a fila já pode durar horas), já outros precisam de horário marcado para visitação. 

A seguir daremos algumas dicas de como aproveitar essas atrações e não perder tempo durante a sua viagem! :)

Galleria Dell'Academia

6167932064_be617a7fea_o.jpg

Para visitar a famosa obra de David, além de outras incríveis esculturas da Galleria Dell'Academia, recomendamos a compra dos ingressos com antecedência e hora marcada. Dessa forma você não perde tempo na fila, que geralmente é grande, e também não corre o risco de não conseguir entrar. 

O site para comprar o ingresso é:

http://www.accademia.org/buy-tickets/

 

Catedral de Florença ou Duomo

A entrada na famosa Catedral de Florença, também conhecida como Duomo, é gratuita. No entanto, para subir até a cúpula, visitar a torre dos sinos, campanário, museu, batistério e cripta é necessário adquirir ingresso. Recomendamos adquirir o ingresso online pois a visita a cúpula precisa de horário marcado, então é mais tranquilo você já ter um dia e horário programado para esse passeio.

O site para comprar os ingressos é:

https://www.museumflorence.com

 

Firenze Card

O Firenze Card é o cartão que da direito a entrada em 72 museus da cidade por 72 horas e ainda te garante o benefício de não ter que esperar na fila! O valor dele é um pouquinho alto, 72 euros, então compensa colocar na ponta da lápis quais museus você quer e consegue visitar em 3 dias para ver se vale pra você. 

A única facilidade que o cartão infelizmente não traz é você ter que ir até um endereço em Florença para reservar o horário para subir na cúpula do Duomo. 

Para adquirir o cartão é só acessar o link abaixo:

http://www.firenzecard.it/index.php?lang=en

 

Se estiver precisando de ajuda para organizar sua viagem para Florença, conte com a nossa consultoria! Ajudamos você em todos os passos da sua viagem e ainda elaboramos um roteiro dia-a-dia personalizado para você e para o seu estilo de viagem!

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

7 passos simples para planejar a sua viagem de 4 dias para Paris

É normal ficarmos um pouco perdidos quando vamos começar a planejar uma viagem para um local que não conhecemos. Acredite, eu já passei muito por isso! Mas com o tempo vamos ganhando prática, conhecimento e as coisas vão ficando cada vez mais simples e mais fáceis.

A seguir vou compartilhar com vocês 7 coisas que sempre faço quando quero ir para Paris. Esses passos me ajudam muito a planejar o que quero fazer e me organizar durante mais ou menos 4 dias. 

 

1º Passo: Estação do ano

Paris é uma cidade incrível para se conhecer em todas estações do ano! E cada estação te proporcionará uma experiência diferente. Primeiro veja em qual estação irá visitar a cidade, não só para se programar para organizar a mala, como também para saber quais programações pode aproveitar naquela época determinada.

 

Primavera (21 Março-21 Junho) e Verão (21 Junho-21 Setembro)

Na primavera e verão você poderá fazer piquenique nos parques, curtir a “praia” no Rio Sena,  os terraços e seus cafés, ver festivais, andar de bicicleta e aproveitar a abertura oficial de todos os museus.  

Outono (21 Setembro-21 Dezembro)

Já o outono possui o seu festival próprio, além das grandes feiras que atraem os moradores locais. E claro que não podemos esquecer do início das decorações de Natal!

Inverno (21 Dezembro-21 Março)

O inverno geralmente cobre a cidade luz com uma neve branquinha, que a torna ainda mais charmosa e encantadora. O calor acolhedor dos cafés, restaurantes e museus torna a cidade ainda mais especial! Nesta época as decorações e feiras de Natal já tomaram conta das ruas e praças da cidade. Aqui você poderá tomar muito chocolate quente e arriscar na patinação no gelo.

 

2º Passo: Ver os eventos mensais

Se você gosta de shows, festivais, teatro, feiras, jogo de futebol e etc, é sempre legal ver com antecedência o que acontecerá na cidade nos dias que você estiver por lá. Os ingressos para esses eventos geralmente são bastante disputados e quanto antes você comprar e se programar, melhor!

 

3º Passo: Conheça o mapa da cidade

Quando viajamos já sabendo mais ou menos como a cidade é divida fica muito fácil nos localizarmos e aprendermos sobre os transportes públicos. Isso nós ajuda muito a ganhar tempo durante o dia e organizar as atrações que queremos conhecer.

Paris é uma cidade divida por distritos ou arrondissements, que correspondem a divisão administrativa que compõe a comuna de Paris e que formam seus bairros. A cidade tem um total de 20 arrondissements municipais.

• 1. arrondissement - Paris 1 - Louvre

• 2. arrondissement - Paris 2 - Bourse

• 3. arrondissement - Paris 3 - Temple

• 4. arrondissement - Paris 4 - Hôtel de Ville

• 5. arrondissement - Paris 5 - Panthéon

• 6. arrondissement - Paris 6 - Luxembourg

• 7. arrondissement - Paris 7 - Palais Bourbon

• 8. arrondissement - Paris 8 - Elysée

• 9. arrondissement - Paris 9 - Opéra

• 10. arrondissement - Paris 10 - Enclos Saint Laurent

• 11. arrondissement - Paris 11 - Popincourt

• 12. arrondissement - Paris 12 - Reuilly

• 13. arrondissement - Paris 13 - Gobelins

• 14. arrondissement - Paris 14 - Observatoire

• 15. arrondissement - Paris 15 - Vaugirard

• 16. arrondissement - Paris 16 - Passy

• 17. arrondissement - Paris 17 - Batignolles Monceau

• 18. arrondissement - Paris 18 - Buttes Montmartre

• 19. arrondissement - Paris 19 - Buttes Chaumont

• 20. arrondissement - Paris 20 – Ménilmontant

Como você pode perceber no mapa abaixo os bairros mais visitados e que possuem grande parte das atrações de Paris são os que estão marcados de negrito acima. Agora me diga como ter essa noção te dá outra percepção da cidade!

 

4º Passo: Dicas de moradores locais

Uma coisa que percebi ao longo das minhas viagens e sempre conhecendo e fazendo amizades com pessoas que moram em cada local, é que você tem uma outra experiência na cidade quando segue as dicas dadas por eles, moradores locais. Afinal ninguém conhece melhor uma cidade do que as pessoas que realmente moram nela!

Quando vamos a um restaurante ou bar frequentando por moradores locais vemos diferença no atendimento, no tipo de comida e até nos sentimos mais a vontade. O mesmo acontece quando vamos para um museu sabendo os horários menos cheios, conhecemos algumas ruas, parques e até mesmo feirinhas que nunca iríamos passar se não fossem por aquelas dicas.

Esses pequenos detalhes mudam a forma com que vemos e experimentamos a cidade! Assim a experiência fica ainda mais gostosa!

 

5º Passo: Definir as atrações

Paris é uma cidade enorme e cheia de locais incríveis. Sendo assim, você deve saber e organizar bem o quer conhecer para que aproveite ao máximo os dias que estará na cidade.

Defina as atrações turísticas que gostaria de conhecer, veja os horários de funcionamento, o melhor horário para visitação e crie uma logística para que você não fique fazendo um pinga-pinga entre locais distantes da cidade e perca muito tempo.

Dicas como: comprar o ticket com antecedência, onde comprar, se o museum pass é uma boa opção, melhores horários e outras são de grande ajuda para você se organizar e ganhar tempo!

 

6º Passo: Definir os restaurantes

Considero esse um dos passos mais importantes do meu roteiro porque AMO uma boa comida! Hihihi

Escolher bons restaurantes em nossas viagens pode ser algo bastante complicado, até mesmo com a facilidade do tripadvisor. Digo isso porque os restaurantes mais bem ranqueados ali são geralmente turísticos e fogem daquilo que preso em minhas viagens, bons preços, bom atendimento e ótima comida!

Como sendo uma pessoa que ama comer bem, sempre que viajo faço questão de buscar restaurantes locais. Ao encontrar esses restaurantes, antes através muita pesquisa e hoje através da ajuda dos nossos colaborares, eu os mapeio, vejo os horários de funcionamento e vou colocando-os no mapa de acordo com a próximidade de uma atração turística que quero conhecer, assim consigo fazer as 2 coisas e não perder tempo.  Afinal, não existe nada mais chato que chegar em restaurante que queremos muito conhecer para o almoço e descobrir que ele somente abre para a janta, né? E quando você passa um tempão para decidir um restaurante ali na hora e acaba não sendo aquilo que você esperava ou até mesmo ruim? Chega bate um tristeza, né?! :(

 

7º Passo: Organizar o roteiro

Esse pra mim é o passo mais importante da minha viagem! Quando monto um roteiro vejo a minha viagem, meus desejos, sonhos e vontades concretizados ali e isso é uma delícia!

Para organizar o seu roteiro comece dividindo os dias da sua viagem, depois divida as atrações e coisas que quer fazer pela proximidade e pelos dias! Isso te dá uma visão clara do que fazer dia-a-dia e de como se organizar.

Quando falamos em roteiro as vezes pensamos em algo limitador da nossa experiência, mas é justamente ao contrário! Quando temos um roteiro definido não significa que precisamos nos limitar a aquilo que está nele, mas ele nos serve de Guia para o que desejamos fazer. Do seu hotel a atração turística, da atração turística ao restaurante e durante todo o seu dia você caminhará por ruas que não conhece, passará por becos de arquiteturas lindas e nada disso estará no seu roteiro. E ao caminhar você verá e descobrirá coisas novas e incríveis!

Eu vejo o meu roteiro como o meu Guia organizado de desejos para que eu não perca tempo e nem deixe de fazer algo que quero muito. A única coisa que pode limitar a nossa experiência somos nós mesmo! 

Afinal de contas, não existe sensação pior que voltar de viagem e se arrepender de não ter feito algo que queria muito ou ver um lugar na internet que poderia ter conhecido, mas por falta de informação ou planejamento acabou não conhecendo.

Sabemos que seguir todos esses passos toma um tempo que muitas vezes não temos ou até mesmo é algo que não curtimos muito fazer. Se você se encaixa em um desses perfis ou simplesmente quer uma experiência diferente na sua viagem, estamos aqui para te ajudar! 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Onde trocar dinheiro em Bangkok

Trocar dinheiro em Bangkok não é complicado porque você encontra bancos e casas de câmbio em diversos lugares. A diferença de saber onde trocar o seu dinheiro é poder conseguir o câmbio pela melhor cotação possível! 

Com as nossas viagens aprendemos algumas coisas que devemos fazer antes de sair para trocar o dinheiro e onde é o melhor local para troca-lo!

1. Veja qual a cotação do dia na internet.

Sabendo qual a cotação do dia você terá uma ideia se a cotação do local onde está trocando está realmente valendo a pena ou não.

2. Estipule uma quantidade que deseja gastar por dia.

Saber quanto você quer gastar por dia é uma ótima forma de controle de gastos na viagem e de saber quanto dinheiro trocar, principalmente se você vai viajar para diferentes países! Nós normalmente trocamos o dinheiro correspondente a quantidade de dias que vamos ficar em cada cidade, mas você também pode já trocar por todo seu período de estadia na Tailândia, por exemplo. 

3. As melhores casas de câmbio em Bangkok.

A manha na hora de trocar o seu dinheiro em casas de câmbio ou bancos é sempre trocar por valores como 100, 200, 300 ou mais pois assim fica pega a melhor cotação da casa. Quanto maior o valor da nota, melhor será a cotação!

  • Super Rich International Exchange

Esse é o local mais famoso de Bangkok para câmbio e é quase sempre garantido que eles terão a melhor cotação do mercado. E o bom é que eles se encontram em vários locais da cidade!

Para acompanhar a cotação do dia e verificar a loja mais perto de você só CLICAR AQUI!

  • Vasu Exchange

Outro famoso local para câmbio em Bangkok é o Vasu Exchange! O câmbio deles também é bastante competitivo e vale a pena dar uma olhada! O único problema é que eles somente possuem uma localização em Bangkok. 

Para acompanhar e comparar a cotação deles com o de cima CLIQUE AQUI! 


Quer viajar tranquilo e aproveitar as melhores de dicas de Bangkok? Personalize um roteiro exclusivo para sua viagem!

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

5 dicas para ser o mestre da negociação no Sudoeste Asiático

Se você é aquela pessoa que negocia até o preço do pão na padaria, welcome home! hahaha A Ásia é o local ideal para os negociantes de primeira e o local perfeito para quem quer aprender a negociar! 

Nos mercados, feiras e até mesmo taxis e tuktuks os vendedores/motoristas sempre te darão um preço pelo menos 30% mais alto do que realmente vale o que você quer comprar, principalmente você sendo turista e sendo na Tailândia. 

Seguindo essas dicas você vai conseguir preços justos em tudo aquilo que quiser comprar e também verá o tanto que fazer isso se torna algo divertido! Pelo menos foi isso que nós achamos! :D

Frases para usar na negociação:

  1. Quanto custa?: Tauw rai?
  2. Muito caro!: Peng mak!
  3. Tem desconto?: Lot dai mai? 

1. Pesquise os preços.

Você perceberá nesses mercados e feiras que as coisas que você quer comprar se repetem em diversas barraquinhas pelo caminho, então aproveite, que está curtindo suas férias e sem correria, para fazer uma pesquisa de preço e ter uma ideia para iniciar sua negociação. Lembre-se que os valores dados aos turistas geralmente são de 30% a 50% mais altos que o valor real de venda! 

2. Negocie na moeda local e sempre que puder pegue a calculadora.

Quando fomos a Tailândia pela primeira vez ainda não tínhamos as manhas da negociação e, na verdade, nem sabíamos que precisaríamos ter! Você acaba chegando lá e achando tudo já relativamente barato e por isso não vê motivo para negociar. 

Mas após uma pequena pesquisa de preço entre as barracas, percebemos que já tínhamos gasto um dinheiro a mais só por não negociar, e que esse dinheiro poderia ter nos dado alguns pad thai a mais durante a viagem.

Então, (depois de chorarmos por dentro pelos pad thai perdidos), começamos a entrar na brincadeira. Primeiro percebemos que na maioria das vezes que íamos em uma barraquinha o vendedor colocava o preço na calculadora e mostrava pra gente. No começo respondíamos para ele verbalmente o valor que queríamos e as vezes (após uma insistência) conseguíamos baixar o valor, as vezes não. 

Então chegou um momento que paramos para perceber que a calculadora era o meio de comunicação que ele utilizava, então para negociar de volta, nada melhor que utilizar do mesmo meio de comunicação (até porque alguns não falam nada de inglês). E vocês não tem ideia do tanto que isso facilitou a nossa vida na hora de negociar!

A maioria das compras que fizemos colocando o valor de negociação na calculadora foram muito mais efetivas e mais rápidas que aquelas em que não colocamos! 

3. Antes de entrar na negociação separe o valor que você deseja pagar por aquilo.

Depois que aprendemos que devemos utilizar o meio de comunicação deles para negociação, como a calculadora, tivemos que desenvolver a estratégia 2, caso a 1º falhasse. 

Um amigo nosso queria comprar uma luva de muay thai e antes de chegar na banquinha já deixou um valor que ele considerava justo para aquilo separado no bolso. O preço inicial dado pelo vendedor foi quase duas vezes maior do que ele esperava, então ele começou a negociar com a calculadora. O vendedor se mostrou bem resistente no começo, mas começou a baixar um pouco o preço. Após o nosso amigo perceber que o valor da calculadora já tinha chegado ao limite, ele tirou do bolso o "único" dinheiro que possuía e falou para o vendedor que era tudo o que tinha. 

O vendedor balançou a cabeça, aceitou o dinheiro e todos saíram felizes! A estratégia 2 tinha funcionado! 

4. Não demonstre empolgação.

Esse pra mim foi um dos mais difíceis de aprender! Eu sou uma grande compradora de bugingangas nas minhas viagens e sempre me empolgo muito quando vejo algo legal que quero comprar, mas infelizmente esse é o grande problema quando você tem que iniciar uma negociação. 

Se o vendedor perceber que você quer muito aquilo pode ter certeza que ele vai subir ainda mais o preço na hora que você perguntar, então mesmo que por dentro você esteja saltitando, faça uma cara de paisagem e pergunte o preço de uma outra coisa, para só depois pedir o preço daquilo que você realmente quer. 

5. Vá embora

Essa é a tecnica mais poderosa da negociação, mas também a mais perigosa! Como diz o querido Tio Ben "com grandes poderes, vem grandes responsabilidades"! Se a técnica for bem executada o vendedor te chamará de volta e colocará o preço que você sugeriu, mas se não for ou se o vendedor realmente estiver no seu limite de preço, você terá que procurar o objeto que quer em outro local ou fazer um maravilhoso walk of shame e aceitar o preço que ele falou. 

Se você estiver se perguntando se eu fiz o walk of shame alguma vez, eu vou ter que te dizer que sim. E tudo isso por um Buddha lindo, verde e sorridente que hoje enfeita meu quarto e me lembra desse momento. hahaha Valeu a pena? Valeu muito a pena!

Se você é fã de mercados e feiras, vem bater um papo com a gente que temos muitos lugares legais para o seu roteiro! 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

7 formas de conhecer Bangkok on a budget

Se você estiver viajando para Bangkok com o orçamento limitado dá uma olhada nessas dicas que utilizamos quando estamos com o budget apertado e até mesmo quando não estamos, só porque elas são realmente maravilhosas! hahaha

1. Street Foods e Food Courts.

A Tailândia é conhecida por sua comida de rua e isso é maravilhoso! Praticamente por todas as ruas que você andar, sejam elas pequenas ou não, você encontrará barraquinhas oferecendo as mais variadas e deliciosas opções que vão de currys a pad thai e espetinhos de frutos do mar! 

Se você tem receio em comer na rua, deixe ele de lado quando chegar aqui! A grande maioria dos tailandeses comem na rua ou compram suas refeições em saquinhos para levar para casa todos os dias. Para eles é muito mais barato e prático fazer isso que cozinhar em casa, tanto que muitos apartamentos em Bangkok nem mesmo possuem uma cozinha completa. 

Sendo assim, os donos das barraquinhas se mantém obrigados a sempre terem seus produtos de boa qualidade, frescos e feitos todos os dias. 

As dicas para escolher em qual barraquinha comer e o que comer são simples:

  • Sempre procure as barracas mais cheias. Com certeza nelas você pode garantir a qualidade do que está sendo servido! 
  • Não coma nada cru! 
  • Pegue um roteiro personalizado da TravelRoutes que te guiará pelas melhores barraquinhas de rua de Bangkok!

E como estamos falando de budget vamos aos preços! Na rua você consegue comer por 50/100 Baht! Isso representa 1 ou 2 dólares por refeição, as vezes incluindo até a bebida! É ou não é maravilhoso? 

Os food courts também são opções ótimas e baratas! Você pode encontra-los dentro dos shoppings e de centros empresarias e comerciais de Bangkok. Ali também haverá diversas opções deliciosas, não só de comida tailandesa como de outros países da Ásia. Os preços aqui são um pouquinho mais altos por serem praças de alimentação e terem uma estrutura melhor, mas de 100 a 300 Baht você come muito bem por aqui!

Quando vamos para Tailândia sempre buscamos as barraquinhas de rua e food courts para as nossas refeições porque não há forma melhor de conhecer uma cidade que comendo onde os moradores locais comem! 

2. Prathunam Market.

Fazer compras na Tailândia é super barato e quando você passa pela Khao SanRoad fica doido com os preços e variedades de camisetas, regatas, vestidos, calças e bolsas que vê por lá. Mas temos um segredo para te contar, achamos um local onde as coisas são realmente baratas e não "para turistas" baratas. 

O Prathunam Market é uma grande feira de roupas e acessórios onde os próprios tailandeses vão fazer suas compras. Se você estiver buscando roupas no estilo daquelas vistas na Khao SanRoad, aqui é o local ideal! Eles também vendem imitações de algumas marcas e coisas do tipo, se você também estiver buscando por isso. 

Aah e você consegue chegar facilmente aqui utilizando as balsas que vão pelos canais de Bangkok! Olha esse post AQUI!

compras (1).png

3. Negocie sempre e negocie tudo!

Negociar para conseguir o melhor preço que você puder faz parte da experiência nos mercados e feiras de Bangkok, principalmente nos locais mais turísticos! 

O primeiro preço que eles vão te dar com certeza será mais alto que ele realmente custa ou do que ele é vendido para um tailandês! hahaha Então não tenha pena de negociar o máximo que você puder. Você verá quando o vendedor chegar no limite de preço dele! 

Como a negociação na Tailândia é praticamente uma arte, fizemos um post só para te dar dicas sobre isso! CLIQUE AQUI e aprenda a arte da negociação!

dicas.png

4. Rabbit Travel Card.

Se você vai passar uns dias em Bangkok e utilizar o BTS Skytrain, a forma mais econômica é comprando esse cartão. Uma viagem sem o cartão custa em torno de 15 a 45 Baht a depender da distância que você vai percorrer, mas com o Rabbit Card essas viagens custam em média 21 Baht!

O Rabbit Card funciona da seguinte forma, ao adquiri-lo ele já vem carregado com uma quantidade x de viagens que você poderá fazer, independente da distância e durante uma quantidade limitada de dias.

dicas.png

5. Não pegue taxi estacionado na porta do seu hotel ou hostel.

Os taxistas de porta de hotel provavelmente vão tentar fechar um preço com você para passear o dia todo pela cidade. No entanto, esse preço acaba sendo muito mais alto que se você fizer os passeios pegando, tuktuk, Uber ou taxi com o taxímetro, então se quiser economizar ou até mesmo ter chance de nem ter um experiência tão legal, não caia nessa e personalize um roteiro para sua viagem com as dicas que realmente são legais sobre o que fazer em Bangkok! :)

vidanoturna.png

6. Compre uma torre de cerveja, uma garrafa de whisky ou um balde de bebida na balada.

Eu sei, que vindo de onde a gente vem, essa dica parece uma loucura para quem economizar, mas garantimos para você que aqui é diferente. Em Bangkok comprar bebidas separadas sai muito mais caro que comprar a garrafa, então se estiver entre amigos, aproveite e compre uma garrafa inteira para dividir ou tomar sozinho, dependendo da sua empolgação! hahaha

7. Não troque seu dinheiro no aeroporto!

O aeroporto com certeza é o local onde você vai conseguir a menor cotação na hora do cambio, por isso troque no aeroporto somente o suficiente para pegar o táxi ou passar o 1º dia na cidade, caso você chegue um pouco mais tarde.

CLICANDO AQUI você pode ver os melhores locais para câmbio em Bangkok! 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Bangkok: Economize andando de balsa nos canais

Não é Veneza e também não é gôndola, mas aqui você também pode andar de balsa pelos canais, só que de Bangkok! hihihi :)

Como já falamos no post sobre tuktuktáxi e ferry, o trânsito de Bangkok é bem caótico, então esses transportes pelos canais e rio acabam sendo rápidos e mais baratos! 

Bangkok não é uma cidade cheeeia de canais, mas os que a cruzam conectam pontos bem importantes e legais da cidade que com certeza estão no seu roteiro. Como a parte dos templos, khao sanroad e o distrito financeiro, onde ficam os shoppings. 

O pier mais próximo do centro antigo de Bangkok, onde ficam os templos é o Phanfa Bridge. Dele você pode ir até o pier Pratu Nam, que fica exatamente na área dos shoppings e diversos night markets da cidade! 

A balsa custa de 10 a 20 baht a depender da distância que você vai! CLICANDO AQUI você consegue ver todos os piers e rotas da balsa! :)

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Bangkok: Dica para andar de ferry pelo Chao Phraya River

Andar de ferry pelo Chao Phraya River é uma experiência super delícia em Bangkok! Além do transporte ser prático e rápido, já que evita o trânsito, você ainda pode aproveitar para ver os templos e a arquitetura que beiram o rio. 

Você pode pegar a ferry nos diversos piers que ficam em diferentes alturas do rio. Em alguns piers você faz o pagamento antes de embarcar e em outros você realiza o pagamento dentro da ferry para o cobrador que vai passando. O preço é super baratinho entre 20 e 50 baht no máximo! 

Os piers que você provavelmente mais vai utilizar serão:

  • O Tha Tien Pier, que fica pertinho do Grand Palace, do Wat Pho e também é onde você pega uma ferry para atravessar para o templo Wat Arun, que fica do outro lado do rio. 
  • E o Central Pier/Sathorn que é o pier que fica na parte moderna e financeira de Bangkok e que possui ligação com o BTS (metrô de superfície). 

Uma dica de passeio em Bangkok super legal que podemos passar para vocês é pegar uma ferry no finalzinho da tarde para ver o sol se por e ver a iluminação dos templos e da cidade enquanto passeia pelo rio. :)

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Bangkok: Dica para andar de táxi!

Preciso confessar uma coisa para vocês, táxi é o transporte mais chato e complicado de andar em Bangkok. :( 

Quando fomos pela primeira vez sabíamos que a maioria dos taxistas não ligava o taxímetro e que iriam cobrar um valor muito mais alto para te levar. E podemos afirmar que infelizmente é isso mesmo que acontece!

No começo, entrávamos no táxi e insistíamos pelo taxímetro, as vezes funcionava, as vezes não. Quando o motorista insistia em não ligar e dava um preço normalmente o dobro do real, nós descíamos do táxi e esperávamos outro que nos levasse pelo taxímetro. Isso foi se tornando algo desgastante e cansativo depois de alguns dias.

Além do stress para conseguir um taxi que vá pelo taxímetro ou que não cobre um valor muito acima do esperado para te levar, você ainda tem que encarar o transito da cidade que é mais ou menos parecido com o de São Paulo.

Então nossa dica para você aqui é: procure um táxi que esteja em bom estado de conservação, se for pegar táxi vá preparado para pedir a corrida pelo taxímetro ou negociar. E nem perca seu tempo entrando no táxi antes de fazer isso. Já faça logo da janela que é mais fácil! hahaha

Da segunda vez que estivemos em Bangkok já estava funcionando o Uber por lá (YES!) e a nossa experiência com foi excelente! 

Os carros são ótimos, os motoristas falam inglês e você já sabe o valor que a corrida vai dar! Se você estiver num grupo com até 4 pessoas vale ainda mais! Nós dividíamos as corridas e dava tipo R$3,00 para cada um, sem stress e com conforto após um longo dia de passeios! 

Está planejando uma viagem para Tailândia? Então baixe já 1 dia de roteiro por Bangkok e leve as informações de moradores locais no seu celular! 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Bangkok: Dica para andar de Tuktuk!

Quando falamos em locomoção na Tailândia, não tem jeito, a primeira palavra e imagem que vem na nossa cabeça é daquele carrinho pequeno e colorido que sai cortando todas as ruas e carros pela cidade, o tuktuk! 

15588021691_03dfed096a_b.jpg

Andar de tuktuk é sem dúvida uma experiência imperdível em Bangkok, o vento batendo no rosto e você agarrado onde dá achando que o carrinho vai virar a cada curva (hahaha) fazem parte da aventura! 

Pegar tuktuk em toda cidade é super fácil porque eles estão espalhado por todos os lugares, todos os lugares mesmo. A parte mais difícil é o preço! 

O grande macete para andar nesse carrinho que amamos e ter um custo-benefício legal é negociar o preço! Por ele já ser praticamente considerado uma atração turística e não ter "taxímetro", os motoristas jogam os preços lá nas alturas.

Então antes de entrar no tuktuk fale para onde deseja ir e ele te dirá um valor. Com o preço que ele te der você pode diminuir 1/3 ou até mesmo metade negociando! 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

Bangkok: 3 formas de ir do aeroporto para cidade

Depois de horas e horas de vôo e infinitas escalas finalmente chegamos a tão esperada Bangkok, mas e agora? Como faço para ir do aeroporto até o meu hotel ou hostel? Qual é a melhor forma ou a mais econômica? 

As opções são várias, meu querido viajante! E vamos listar as melhores aqui para você e para o tipo de viagem que está fazendo.

1. Táxi

A forma mais comum de sair de qualquer aeroporto é o táxi, e em Bangkok não é diferente. Saindo na Plataforma de Passageiros, no 1º andar, portões 4 e 7, você verá uma fileira de táxis a espera de passageiros. 

Antes de ir direto para o táxi você deve se dirigir a um dos totens que estão ali para colocar o seu endereço de destino e um carro será indicado para você. A cobrança do valor é feita no taxímetro de acordo com a distância que irá percorrer. Além disso você deverá pagar 50 Baht ao motorista e mais o dinheiro dos pedágios que você pega na saída do aeroporto. 

2. Uber

Utilizar Uber em Bangkok é uma mão na roda, principalmente por saber qual o preço aproximado que vai dar a corrida e por os motoristas falarem inglês! 

3. Bangkok Airport Link

A linha que conecta o aeroporto até downtown Bangkok é uma alternativa expressa e excelente!

A linha faz 6 paradas entre Phayathai Station (downtown) e o aeroporto, o que leva cerca de 30 minutos. Considerando que o transito de Bangkok é caótico, essa é uma maravilhosa opção para você pular todo aquele engarrafamento! 

A Phayathai Station também possui conexão com o MRT (metrô subterrâneo) e o BTS Skytrain (metrô de superfície).

Você pode pegar o Airport Rail Link no 1º andar e ele funciona de 06h/00h.

O ticket custa de acordo com a distância que irá percorrer, sendo o mais caro cerca de 45 Baht, o que é bem barato. Mas se você estiver em um grupo de 3 ou 4 pessoas sai mais em conta e é mais conveniente pegar um táxi ou Uber! :)

Se você leu as nossas dicas práticas é porque está indo ou querendo ir para Tailândia e nós estamos aqui para te ajudar! Se estiver inseguro quanto ao seu roteiro ou estiver com o tempo corrido, entre em contato com a gente para te ajudarmos a montar um roteiro incrível para você aproveitar a Tailândia como ninguém!

 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

 

Entrando na Tailândia: o que precisa, onde ir no aeroporto e como podemos te ajudar!

Aos viajantes para Tailândia essas dicas são muito importantes para vocês! 

Se você está planejando uma viagem para Tailândia, a primeira dica que te dou é tenha planejamento. hahaha Isso pode parecer bobo, mas conhecemos algumas pessoas que atravessaram o planeta, colocaram o pezinho na Tailândia e tiveram que voltar para casa diretamente do aeroporto por não terem se planejado.

Para que isso não aconteça com você vamos falar de 2 coisas: passaporte e vacina de febre amarela!

1. Passaporte

Para entrar na Tailândia, nós, brasileiros, não precisamos de visto! Eeee! Já é uma facilidade e tanto, né? Mas devemos ficar atentos a validade do nosso passaporte porque não se pode entrar no país se o passaporte estiver para vencer em menos de 6 meses da sua data de retorno para o Brasil!

Como aqui nunca sabemos como estará a fila para agendar e renovar o passaporte (Zzzz), recomendo que você faça isso com uma certa antecedência da sua viagem. 

2. Vacina de Febre Amarela

A Tailândia é um dos países que exige o certificado internacional de vacina da febre amarela para entrada no país. Se você está pensando que vai ser um trampo conseguir esse certificado, pode ficar tranquilo! 

Para tirar o certificado você primeiro deve ir até um posto de saúde e tomar a vacina. Se você já tomou a vacina antes (ela tem a validade de 10 anos), então basta ter a sua carteirinha de vacinação! 

Depois disso é só entrar nesse site da Anvisa e seguir a orientações: http://www.anvisa.gov.br/hotsite/viajante/certificado.html

Para quem é de Brasília temos uma dica de ouro, o Ambulatório do Viajante no Hran! O Ambulatório serve para você amante de viagens que quer se previnir e tomar as vacinas necessárias antes de viajar. 

Para se consultar no ambulatório basta você ligar lá, marcar um horário e dizer para quais países está indo. A partir dai eles farão uma pesquisa de quais as doenças estão ocorrendo mais nesses locais e te darão as vacinas e dicas para evitar essas doenças durante a sua viagem! É ou não é incrível?! 

O telefone do Ambulatório do Viajante é 3328-7562.

Veja os outros países que também exigem vacina da febre amarela!

3. Posto de controle da Vacina de Febre Amarela no aeroporto Suvarnabhumi ou Don Mueang

Chegando no aeroporto e antes mesmo do controle de passaporte, você deverá passar no posto de Health Control para validar o seu certificado internacional de vacina da febre amarela. 

Para chegar ao Health Control você deverá ficar de olho nas plaquinhas enquanto anda em direção ao controle de passaporte. Ele fica meio escondido e muita gente passa por ele despercebido. E já adiantamos que não adianta chegar no controle de passaporte antes de passar no Health Control porque eles mandam você voltar e validar o certificado lá! 

Depois de tudo isso só vai faltar uma coisa: você pegar o seu roteiro e começar a aproveitar a sua viagem! 

Se estiver sem tempo ou inseguro para organizar um roteiro para Tailândia, fala aqui com a gente que ajudamos você!

 

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

3 Dicas que você deve saber para viajar de carro pela Espanha

Dirigir na Espanha não é algo que difere muito do Brasil, sendo que a diferença maior é a real qualidade das estradas.

Os maiores de 18 anos já podem dirigir tranquilamente pela Espanha, mas somente os maiores de 21 anos podem alugar carro e algumas empresas exigem que se tenha pelo menos 1 ou 2 anos de permissão na carteira de motorista.

A carteira de motorista valida na Espanha é a mesma do Brasil, em razão de um acordo firmado entre os países. Você somente deve atentar-se a validade da sua carteira de motorista e você somente poderá dirigir com ela pela Espanha durante 180 dias.

Normas de Segurança

As normas de segurança são bastante semelhantes as normas de segurança exigidas aqui no Brasil.

-       Todas as pessoas do veículo devem utilizar cinto de segurança;

-       É proibido falar ao celular enquanto dirigi;

-       O celular e o rádio devem estar desligados enquanto se está no posto de gasolina;

-       É obrigatório o uso de triangulo se o veículo estiver parado com problemas;

-       As ultrapassagens somente podem ser efetuadas pela faixa da esquerda;

-       A quantidade de álcool no sangue não deve superar 0,5g/l.

Velocidade

O limite de velocidade das vias segue a seguinte regra:

-       Rodovias: 120km/h

-       Estradas convencionais: 100km/h

-       Zonas urbanas: 50km/h

Pedágios

As estradas na Espanha, em sua maioria, não possuem pedágios. 

DICA

A grande dica que damos para quem quer viajar de carro pela Espanha é colocar no GPS para não pegar as autoestradas. Assim você passará por vias menores, as vezes de mão única, mas que te mostrarão paisagens e pequenas cidades lindas.

Quer ajuda para planejar a sua viagem de carro pela Espanha? Vem bater um papo com a gente que temos locais lindos para indicar para o seu roteiro!

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

A Roma dos Romanos

 Piazza di Santa Maria - Foto: Doug 

Piazza di Santa Maria - Foto: Doug 

Todos conhecem a expressão “em Roma faça como os Romanos”! Porém, não é raro que uma vez lá, nos esqueçamos de colocá-la em prática. E é por isso que contamos com os nossos colaboradores para nos ajudar com as dicas locais de lá!

Atrás da fantástica história e dos monumentos de Roma, que não devem ser ignorados, existe uma cidade que poucos turistas realmente conhecem e exploram. São poucos aqueles que apreciam a mesma cidade em que os moradores locais vivem.

Exemplo do lado menos conhecido de Roma é o bairro de Trastevere. Localizado próximo ao centro histórico, porém do outro lado do rio Tibre, é historicamente considerado um distrito de trabalhadores e estudantes que vivem em Roma.

 

 Rua de Trastevere - Foto: Michiel Jelijs

Rua de Trastevere - Foto: Michiel Jelijs

 

Atualmente se tornou um bairro popular, que mesmo com ruas cheias de bares, boates e boutiques novas, consegue manter o tradicional ar italiano com casas e igrejas antigas, praças lindas, além de deliciosos cafés e restaurantes. Em Trastevere você pode aproveitar o final da tarde para relaxar e saborear um deliciosa comida italiana enquanto observa o grande movimento da Piazza di Santa Maria.

Uma atração que não se pode perder é o incrível mercado de pulgas chamado Porta Portese, que acontece todos os sábados. Você ficará surpreso com o tamanho do mercado e com a variedade de coisas fascinantes que poderá encontrar por ali, como antiguidades baratas, roupas, artes, e livros.

Via: cntraveler

 Porta Portese - Foto: Morgan Mar

Porta Portese - Foto: Morgan Mar

E você,  já visitou Trastevere em Roma? Conte-nos a sua experiência!

 

 

 

Roma é uma cidade grande e cheia de atrações imperdíveis. Para conseguir aproveitar tudo o que deseja, organize bem o seu roteiro e fique atento as roubadas turísticas, que em Roma, infelizmente, são muitas. Se precisar de ajuda com o seu roteiro ou sua viagem, entre em contato com a gente que ficaremos felizes em te ajudar!

Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!

 

 

Nova York: 8 Flea Markets e Feiras de rua para você conhecer!

Os amantes de feiras sabem o quanto Nova York pode ser maravilhosa e agora em Abril, fim do inverno (se as tempestades de neve deixarem) os Flea Markets e Feiras de Rua voltam a ocupar as ruas e parques da cidade!

Como bons amantes de feiras que somos, reunimos para vocês as mais legais e que você não poder perder! Então prepara sua mala, passaporte, visto, caderninho para anotar essas dicas e aproveite!

Brooklyn Flea + Smorgasburg

O queridinho Brooklyn Flea Market esse ano mudou de endereço e agora acontece junto ao Smorgasburg todos os sábados de 10h/18h, no East River State Park em Williamsburg.

O Brooklyn Flea Market é conhecido pelos mais diversos tipos de antiguidades, roupas vintage, arte, acessórios e uma vibe deliciosa!

O Smorgasburg é aquela feira gastronômica que todo mundo deve ir pelo menos uma vez! Aqui você possui barraquinhas de chefes renomados a pessoas que fizeram uma comidinha deliciosa em casa para vender ali! 

Estamos animados com a junção dessas duas maravilhosas feiras! S2

Brooklyn Flea - DUMBO Flea

Aos domingos o Brooklyn Flea se instala em outro local, na Pearl Plaza no Dumbo, bem abaixo da Manhattan Bridge. Aqui você encontra mais 100 vendedores que vendem de moveis e antiguidades a roupas vintage, arte e acessórios. A feira ocorre todo domingo de 10h/18h.

LIC Flea & Food

Essa feira é uma concorrente direta da Brooklyn Flea Market com uma diversidade de roupas vintage, antiguidades e comidas de lamber os dedos! Ah ainda esquecemos de um detalhe, a vista maravilhosa! Se você ainda não conhece o Queen's essa é uma oportunidade bem legal! 

E se tudo isso ainda não te convenceu a pegar o trem ou ferry para o Queen's, a feira também possui o Flea’s all-Queens Beer and Wine Garden que serve oito tipos de cerveja de locais como  SingleCut Beersmiths e Queens Brewery, além do Butcher Bar’s wood-smoked BBQ!

Essa "quero muito ir feira" começa no dias 08 e 09 de Abril!

Hester Street Fair

No Lower East Side você encontrará a feira com as melhores barraquinhas de comida de Manhattan, como Adirondack Creamery e Wonder City Coffee & Donut Bar, além de arte, roupas e acessórios. A feira tem inicio a partir do dia 15 de abril e acontece todo sábado de 10h/18h.

 http://media.coindesk.com/uploads/2014/06/HesterStreetFair21.jpg

http://media.coindesk.com/uploads/2014/06/HesterStreetFair21.jpg

Queens International Night Market

Conhecido como o mercado noturno de Nova York, aqui é o local ideal para ver o por do sol e curtir uma noite diferente na cidade. Além de barraquinhas ótimas tanto de roupas e acessórios, uma das partes mais esperadas são as comidas e o beer garden! A feira acontece de 18h/00h no New York Hall Of Science, Flushing Meadows Corona Park no Queens.  

Mad. Sq. Eats

Eu sempre falo que nada me deixa mais feliz do que comer algo delicioso e nesse food festival tenho certeza que eu não conseguiria ficar triste nem um minuto. hahaha

Essa feira acontece duas vezes por ano e leva os melhores restaurantes da cidade para a Worth Square no Flatiron District, como o gostoso hambúrguer da Beatrice Inn e a sensacional pizza do Roberta’s.

As duas datas já estão marcadas então pega o caderninho e anota já!

2017 Spring Market | 29 de Abril – 26 de Maio

2017 Fall Market | 2 de Setembro – 29 de Setembro

Localização: Worth Square – 5th Avenue entre 25th e 26th Streets.

 https://spoilednyc.com/wp-content/uploads/2015/05/20140525-190930-x100s-x2.jpg

https://spoilednyc.com/wp-content/uploads/2015/05/20140525-190930-x100s-x2.jpg

Artists & Fleas

Se você está buscando roupas, acessórios e arte dos designer maravilhosos e descolados de Nova York, vem pra cá!

Essa feira acontece durante o ano todo e em 2 endereços diferentes, então não tem desculpa para não ir em pelo menos um deles. :)

Localizações:

Williamsburg
70 North 7th St. - Metrô:  L to Bedford Ave
Sábado + Domingo: 10AM - 7PM

Chelsea Market
88 10th Ave. @ W. 15th St.
Segunda - Sábado: 10AM - 9PM
Domingo: 10AM - 8PM

 https://alleyesonshanghai.files.wordpress.com/2014/05/day-124-00520140504181240.jpg

https://alleyesonshanghai.files.wordpress.com/2014/05/day-124-00520140504181240.jpg

Grand Bazaar NYC

O Grand Bazaar é conhecido como o maior mercado de domingo em Nova York. Ele acontece durante todo o ano seja indoor ou outdoor com maravilhosas barraquinhas de artistas locais, designers,  vendedores de antiguidade/vintage com peças únicas e edições limitadas, relógios antigos, roupas e acessórios vintage e joias e moveis feitos a mão.

Localização: 100 West 77th St., NY, NY 10024  (At Columbus Avenue)

Horário: Domingo: 10:00 am - 5:30 pm

 https://fundreds.com/assets/new-york/57.jpg

https://fundreds.com/assets/new-york/57.jpg

Está indo para Nova York e não tem tempo de organizar o seu roteiro ou quer viajar com dicas diferentes e saber o que as pessoas que moram lá recomendam? Clica aqui embaixo e veja como podemos te ajudar!


Clau é fundadora da TravelRoutes, apaixonada pela Ásia, hipster de atrações turísticas e movida por boa comida, principalmente se for daquele lugar pequeno escondido em uma rua estreita!